Okonel Uniformes - Uniformes Personalizados
Okonel Uniformes - Uniformes Personalizados
Algodão mais caro e agora como ficam os preços das roupas?

Algodão mais caro e agora?

Imagine todas as peças de vestuário que levam algodão. Jeans, jaquetas, roupas de cama, roupas sociais, camisas masculinas, vestidos e pijamas flanelados já estão mais caros e devem encarecer até 30%  com a mudança da coleção Outono/Inverno para a coleção de Verão. O aumento se deve ao preço do algodão, que compõe de 35% a 40% dos tecidos e repercute diretamente nos preços da indústria do vestuário.

 

Segundo Willian Moura, vice-presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário da Bahia (Sindivest), o tecido que era comprado a R$ 6 em 2008, passou para R$ 10 este ano e não há mais como as confecções segurarem os preços. “Começamos a comer a margem de lucro, mas o valor já deve estar em 50% do preço praticado a poucos anos atrás”, analisa Moura.

O empresário também acrescenta que se antes ele tinha que encomendar ao fornecedor da indústria têxtil o tecido com seis meses de antecedência, agora são precisos até nove meses para as encomendas chegarem. “As empresas de confecção menores ainda ficam à mercê destas grandes empresas”, lamenta.

 

Se o consumidor prestar atenção no material que está comprando vai perceber: a tendência tem sido substituir o algodão. Eunice Habide, presidente da Sindivest-BA, diz que para não encarecer as roupas tem procurado tecidos que não são 100% compostos de algodão, mas de outras fibras como viscose, linho e poliéster. “Desta forma, conseguimos que o preço caia um pouco”, acrescenta Eunice.

Quando questionada sobre a qualidade desta substituição, Eunice acredita que há vantagens e desvantagens. Além de baixar o preço da roupa, um ponto bem positivo, as peças que levam menos algodão tendem a amassar menos, o que facilita o dia a dia das pessoas. “Já a roupa fabricada com algodão tem uma boa absorção de umidade. Para o nosso clima é mais interessante e  confortável”, justifica Eunice. Segundo o Sindivest, não há nenhuma perspectiva que o preço do algodão diminua no mercado global, no futuro próximo.

 

Crise
O aumento do consumo na China, bloqueio da exportação da Índia e a quebra de safra nos EUA foram alguns dos fatores que influenciaram a alta do algodão nos últimos meses. Segundo Fernando Pimentel,  diretor superintendente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit), houve meses em 2010 que a alta do algodão chegou a 140%, e os efeitos desta valorização estão sendo sentidos nas coleções deste ano.

“Já chegamos a comprar o quilo do algodão por R$ 5,50, em 2010 o quilo ultrapassou os R$ 10, estando hoje em cerca de R$ 8,80”, comenta Pimentel. Para o empresário, com um aumento tão exorbitante é complicado conter o preço dos tecidos e das roupas. Ele ainda reclama que outros reajustes têm impactado a indústria têxtil, como o preço da energia elétrica, dos salários e dos produtos químicos. “O aumento vai continuar”, ele avisa.

 

Fonte https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/consumo-preco-alto-do-algodao-faz-roupa-ficar-30-mais-cara/

 

Endereço
10.336.161/0001-04
OKONEL IND. E COM. DE CONFECÇÕES LTDA EPP
Rua Irmã Elígia, 34 - Dom Joaquim
Brusque - SC / 88359-250
(47) 3350-0303
vendas3@okonel.com.br
Curta nossa Página
Powered by Web4business

Exibir

Esqueceu sua Senha?

Esqueceu sua Senha?
Por favor informe seu e-mail que iremos lhe enviar uma nova Senha.

Voltar para Login

Fechar